Dez Milagres Eucarísticos

A revista “Jesus” das Edições Paulinas de Roma, publicou uma matéria do escritor Antonio Gentili, em abril de 1983, pp. 64-67, onde apresenta uma resenha de milagres eucarísticos. Há tempos, foi traçado um "Mapa Eucarístico", que registra o local e a data de mais de 130 milagres, metade dos quais ocorridos na Itália.

São muitíssimos os milagres eucarísticos no mundo todo. Por exemplo, Marthe Robin, uma francesa, milagre eucarístico vivo, alimentou-se durante mais de quarenta anos só de Eucaristia. Teresa Newmann, na Alemanha, durante mais de 36 anos alimentou-se só de Eucaristia.


1 - Lanciano - Itália – no ano 700

Em Lanciano – séc. VIII. Um monge da ordem de São Basílio estava celebrando na Igreja dos santos Degonciano e Domiciano. Terminada a Consagração, que ele realizara, a hóstia transformou-se em carne e o vinho em sangue depositado dentro do cálice.

O exame das relíquias, segundo critérios rigorosamente científicos,, foi efetuado em 1970-71 e outra vez em 1981 pelo Professor Odoardo Linoli, catedrático de Anatomia e Histologia Patológica e Química e Microscopia Clínica, Coadjuvado pelo Professor Ruggero Bertelli, da Universidade de Siena. Resultados:

1) A hóstia é realmente constituída por fibras musculares estriadas, pertencentes ao miocárdio.

2) Quanto ao sangue, trata-se de genuíno sangue humano. Mais: o grupo sangüíneo ‘A’ que pertencem os vestígios de sangue, o sangue contido na carne e o sangue do cálice revelam tratar-se sempre do mesmo sangue grupo ‘AB’ (sangue comum aos Judeus). Este é também o grupo que o professor Pierluigi Baima Bollone, da universidade de Turim, identificou no Santo Sudário.

3) Apesar da sua antiguidade, a carne e o sangue se apresentam com uma estrutura de base intacta e sem sinais de alterações substanciais; este fenômeno se dá sem que tenham sido utilizadas substâncias ou outros fatores aptos a conservar a matéria humana, mas, ao contrário, apesar da ação dos mais variados agentes físicos, atmosféricos, ambientais e biológicos.


2 - Orvieto - Bolsena - Itália – 1263

Inicio da Festa de Corpus Christi



3 - Ferrara - 28/03/1171

Aconteceu este milagre na Basílica de Santa Maria in Vado, no século XII. Propagava-se com perigo a heresia de Berengário de Tours (†1088), que negava a Presença real de Cristo na Eucaristia. Aos 28 de março de 1171, o Pe. Pedro de Verona, com três sacerdotes celebravam a Missa de Páscoa; no momento de partir o pão consagrado, a Hóstia se transformou em carne, da qual saiu um fluxo de sangue que atingiu a parte superior do altar, cujas marcas são visíveis ainda hoje.

Há documentos que narram o fato: um “Breve’ do Cardeal Migliatori (1404). - Bula de Eugênio IV (1442), cujo original foi encontrado em Roma em 1975. Mas, a descoberta mais importante deu-se em Londres, em 1981, foi encontrado um documento de 1197 narrando o fato.



4 - Offida - Itália – 1273

Ricciarella Stasio - devota imprudente, realizava práticas supersticiosas com a Eucaristia; em uma dessas profanações, a Hóstia se transformou em carne e sangue. Foram entregues ao pe. Giacomo Diattollevi, e são conservadas até hoje. Há muitos testemunhos históricos sobre este fato.


5 - Sena – Cáscia - Itália – 1330

Hoje este milagre é celebrado em Cássia, terra de Santa Rita de Cássia. Em 1330, um sacerdote foi levar o viático a um enfermo e colocou indevidamente, de maneira apressada e irreverente, uma Hóstia dentro do seu Breviário para levá-la ao doente grave. No momento da Comunhão, abriu o livro e viu que a Hóstia se liquefez e, quase reduzida a sangue, molhou as páginas do Livro.

Então o sacerdote negligente apressou-se a entregar o livro e a Hóstia a um frade agostiniano de Sena, o qual levou para Perúgia a pagina manchada de sangue e para Cáscia a outra página onde a Hóstia ficou presa. A primeira página perdeu-se em 1866 mas a relíquia chamada de “Corpus Domini” é atualmente venerada na basílica de Santa Rita.


6 - Turim - Itália – 1453

Na Alta Itália ocorria uma uma guerra furiosa pelo ducado de Milão. Os Piemonteses saquearam a cidade; ao chegarem a Igreja, forçaram o Tabernáculo. Tiraram o ostensório de prata, no qual se guardava o corpo de Cristo ocultando-no dentro de uma carruagem juntamente com os outros objetos roubados, e dirigiram-se para Turim. Crônicas antigas relatam que, na altura da Igreja de São Silvestre, o cavalo parou bruscamente a carruagem – o que ocasionou a queda, por terra, do ostensório – o ostensório se levantou nos ares "com grande esplendor e com raios que pareciam os do sol". Os espectadores chamaram o Bispo da cidade, Ludovico Romagnano, que foi prontamente ao local do prodígio. Quando chegou, "O ostensório caiu por terra, ficando o corpo de Cristo nos ares a emitir raios refulgentes". O Bispo, diante dos fatos, pediu que lhe levassem um cálice. Dentro do cálice, desceu a hóstia, que foi levada para a catedral com grande solenidade. Era o dia 9 de junho de 1453. Existem testemunhos contemporâneos do acontecimento (Atti Capitolari de 1454 a 1456). A Igreja de "Corpus Domini" (1609), que até hoje atesta o prodígio.


7 - Sena - Itália – 1730

Na Basília de São Francisco, em Sena, pátria de Santa Catarina de Sena, durante a noite de 14 para 15 de março de 1730, foram jogadas no chão 223 hóstias consagradas, por ladrões que roubaram o cibório de prata onde elas estavam. Dois dias depois, as Hóstias foram achadas em caixa de esmolas misturas com dinheiro. Elas foram limpadas e guardadas na Basílica de São Francisco; ninguém as consumiu; e logo o milagre aconteceu visto que com o passar do tempo as Hóstias não se estragaram, o que é um grande milagre. A partir de 1914 foram feitos exames químicos que comprovaram pão em perfeito estado de conservação.


8 - Milagre Eucarístico de Santarém – Portugal (1247)

Aconteceu no dia 16 de fevereiro de 1247, em Santarém, 65 km ao norte de Lisboa. O milagre se deu com uma dona de casa, Euvira, casada com Pero Moniz, a qual sofrendo com a infidelidade do marido, decidiu consultar uma bruxa judia que morava perto da igreja da Graça. Esta bruxa prometeu-lhe resolver o problema se como pagamento recebesse uma Hóstia Consagrada. Para obter a Hóstia, a mulher fingiu-se de doente e enganou o padre da igreja de S. Estevão, que lhe deu a sagrada Comunhão num dia de semana. Assim que ela recebeu a Hóstia, sem o padre notar, colocou-a nas dobras do seu véu. De imediato a Hóstia começou a sangrar. Assustada, a mulher correu para casa na Rua das Esteiras, perto da Igreja e escondeu o véu e a Hóstia numa arca de cedro onde guardava os linhos lavados. À noite o casal foi acordado com uma visão espetacular de Anjos em adoração à sagrada Hóstia sangrando. Várias investigações eclesiásticas foram feitas durante 750 anos. As realizadas em 1340 e 1612 provaram a sua autenticidade. Em 5 de abril de 1997, por decreto de D. Antonio Francisco Marques, Bispo de Santarém, a Igreja de S. Estevão, onde está a relíquia, foi elevada a Santuário Eucarístico do Santíssimo Sangue.


9 – Faverney, na França, em 1600

O Milagre Eucarístico que aconteceu em Faverney, na França consistiu numa notável demonstração sobrenatural de superação da lei da gravidade. Faverney está localizado a 20 quilômetros de Vesoul, distante 68,7 quilômetros de Besançon.

Um dos noviços chamado Hudelot, notou que o Ostensório que se encontrava junto Santíssimo Sacramento sobre o Altar, elevou-se e ficou suspenso no ar e que as chamas se inclinavam e não tocavam nele. Os Frades Capuchinhos de Vesoul também apressaram-se para observar e testemunhar o fenômeno. Embora os monges com a ajuda do povo, conseguiram apagar o incêndio que queria consumir toda a Igreja, o Milagre não cessou, o Ostensório com JESUS Sacramentado continuou flutuando no espaço.


10 - Em Stich, Alemanha, 1970

Na região Bávara da Alemanha, junto à fronteira suíça, em 9 de junho de 1970, enquanto um padre visitante da Suíça estava celebrando uma Missa numa capela, uma série incomum de eventos aconteceu. Depois da Consagração, o celebrante notou que uma pequena mancha avermelhada começou a aparecer no corporal, no lugar onde o cálice tinha estado descansando. Desejando saber se o cálice tinha começado a vazar, o padre correu a mão dele debaixo do cálice, mas achou-o completamente seco. A esta altura, a mancha crescera, atingindo o tamanho de uma moeda de dez centavos. Depois de completar a Missa, o padre inspecionou todo o altar, mas não conseguiu encontrar qualquer coisa que pudesse ser remotamente a fonte da mancha avermelhada. Ele trancou o corporal que apresentava a mancha num local seguro, até que pudesse discutir o assunto com o pároco.



A Festa de Corpus Christi

A Festa de “Corpus Christi” é a celebração em que solenemente a Igreja comemora o Santíssimo Sacramento da Eucaristia; sendo o único dia do ano que o Santíssimo Sacramento sai em procissão às nossas ruas. Nesta festa os fiéis agradecem e louvam a Deus pelo inestimável dom da Eucaristia, na qual o próprio Senhor se faz presente como alimento e remédio de nossa alma. A Eucaristia é fonte e centro de toda a vida cristã. Nela está contido todo o tesouro espiritual da Igreja, o próprio Cristo.
A Festa de Corpus Christi  surgiu no séc. XIII, na diocese de Liège, na Bélgica, por iniciativa da freira Juliana de Mont Cornillon, (†1258) que recebia visões nas quais o próprio Jesus lhe pedia uma festa litúrgica anual em honra da Sagrada Eucaristia.  
Aconteceu que quando o padre Pedro de Praga, da Boêmia, celebrou uma Missa na cripta de Santa Cristina, em Bolsena, Itália, ocorreu um milagre eucarístico: da hóstia consagrada começaram a cair gotas de sangue sobre o corporal após a consagração. Dizem  que isto ocorreu porque o padre teria duvidado da presença real de Cristo na Eucaristia.
O Papa Urbano IV (1262-1264), que residia em Orvieto, cidade próxima de Bolsena, onde vivia S. Tomás de Aquino, ordenou ao Bispo Giacomo que levasse as relíquias de Bolsena a Orvieto. Isso foi feito em procissão. Quando o Papa encontrou a Procissão na entrada de Orvieto, pronunciou diante da relíquia eucarística as palavras: “Corpus Christi”.
Em 11/08/1264 o Papa aprovou a Bula “Transiturus de mundo”, onde  prescreveu que na 5ª feira após a oitava de Pentecostes, fosse oficialmente celebrada a festa em honra do Corpo do Senhor. São Tomás de Aquino foi encarregado pelo Papa para compor o Ofício da celebração. O Papa era um arcediago de Liège e havia conhecido a Beata Cornilon e havia percebido  a luz sobrenatural  que a iluminava e a sinceridade de seus apelos.
Em 1290 foi construída a belíssima Catedral de Orvieto, em pedras pretas e brancas,  chamada de  “Lírio das Catedrais”. Antes disso, em 1247, realizou-se a primeira procissão eucarística pelas ruas de Liège, como festa diocesana, tornando-se depois uma festa litúrgica celebrada em toda a Bélgica, e depois, então, em todo o mundo no séc. XIV, quando o Papa Clemente V confirmou a Bula de Urbano IV, tornando a Festa da Eucaristia um dever canônico mundial.
Em 1317, o Papa João XXII publicou na Constituição Clementina o dever de se levar a Eucaristia em procissão pelas vias públicas. A partir da oficialização, a Festa de Corpus Christi passou a ser celebrada todos os anos na primeira quinta-feira após o domingo da Santíssima Trindade.
Todo católico deve participar dessa Procissão por ser a mais importante de todas que acontecem durante o ano, pois é a única onde o próprio Senhor sai às ruas para abençoar as pessoas, as famílias e a cidade. Em muitos lugares criou-se o belo costume de enfeitar as casas com oratórios e flores e as ruas com tapetes ornamentados, tudo em honra do Senhor que vem visitar o seu povo.
Começaram assim as grandes procissões eucarísticas, as adorações solenes, a Bênção  com o Santíssimo  no ostensório por entre  cânticos. Surgiram também os Congressos Eucarísticos, as Quarenta Horas de Adoração e inúmeras outras homenagens a Jesus na Eucaristia. Muitos se converteram e todo o mundo católico.
Prof. Felipe Aquino

YouCat Online - Para que criou Deus o ser humano?


video



Deus fez tudo para o ser humano. Deus criou o ser humano, «a única criatura a ser querida por Deus em si mesma» (Gaudium et spes, nº 24), para ser feliz. Isso acontece na medida em que ele conhece Deus, O ama, O serve e vive com gratidão diante do seu Criador. [358]

A gratidão é o amor reconhecido. Quem é grato volta-se, na liberdade, para o Autor do Bem e começa com Ele uma relação nova e mais profunda. Deus gostaria que conhecêssemos o Seu amor e vivêssemos desde já toda a nossa vida numa relação com Ele. Esta relação permanece eternamente.

Se a única oração que fizesses em toda a tua vida fosse apenas "Eu Te agradeço!", isso já bastaria. Mestre Eckhart (ca. 1260-1328, dominicano e místico)




Inscreva-se em nosso canal do Youtube: www.youtube.com/pequenorebanho

Twitter: @pequeno_rebanho

Facebook: fb.com/comunidadecatolicapequenorebanho

O bem-estar e o fascínio do provisório nos afastam de Jesus

27-05-2013 - Cidade do Vaticano (RV) 


Para seguir Jesus, devemos nos despir da cultura do bem-estar e do fascínio provisório: foi o que disse esta manhã o Papa Francisco, na Missa na Casa Santa Marta.

Na homilia, o Papa comentou o Evangelho do dia, em que Jesus pede a um jovem que dê suas riquezas aos pobres e que O siga. “As riquezas são um empecilho, pois não facilitam o caminho rumo ao Reino de Deus”, disse Francisco. 

O Pontífice se referiu a duas “riquezas culturais”: antes de tudo, a “cultura do bem-estar, que nos deixa pouco corajosos, preguiçosos e também egoístas. O bem-estar é uma “anestesia”:

"Não, não, mais de um filho não, porque não podemos fazer férias, não podemos comprar a casa... Podemos seguir o Senhor, mas até certo ponto. Isso faz o bem-estar: nos despe daquela coragem forte que nos aproxima de Jesus. Esta é a primeira riqueza da nossa cultura de hoje, a cultura do bem-estar.”


A segunda riqueza é o fascínio do provisório. “Nós estamos apaixonados pelo provisório”, disse o Papa. Não gostamos das propostas definitivas que Jesus nos faz e temos medo do tempo de Deus:

Ele é o Senhor do tempo, nós somos os senhores do momento. Uma vez, conheci uma pessoa que queria se tornar padre, mas só por dez anos, não mais.” Além disso, muitos casais se casam pensando que o amor pode acabar e, com ele, a união. 

Essas duas riquezas são as que, neste momento, nos impedem de prosseguir. Eu penso em muitos, muitos homens e mulheres que deixaram a própria terra para serem missionários por toda a vida: isso é definitivo! Assim como muitos homens e mulheres que deixaram a própria casa para um matrimônio por toda a vida: isso é seguir Jesus de perto! É o definitivo”, afirmou o Pontífice, que concluiu:

“Peçamos ao Senhor que nos dê a coragem de prosseguir, despindo-nos desta cultura do bem-estar, com a esperança no tempo definitivo.”




Fonte: http://pt.radiovaticana.va/news/2013/05/27/o_bem-estar_e_o_fasc%C3%ADnio_do_provis%C3%B3rio_nos_afastam_de_jesus,_afirm/bra-695834

A vida humana não é um produto, e sim um dom.


Diante da publicação da revista americana Cell, que noticiou que cientistas da Oregon Health and Science University tinham obtido a primeira clonagem de células-mãe embrionárias "com fins terapêuticos", é importante destacar a posição da Igreja Católica quanto ao progresso da ciência e ao uso de embriões em testes para a cura de doenças.

O presidente da Comissão Arquidiocesana de Promoção e Defesa da Vida, Dom Antonio Augusto Dias Duarte, foi enfático ao afirmar que “não se pode considerar a pessoa humana como um meio de comercialização” e fez questão de ressaltar que é papel dos cientistas agirem de forma ética:
— Todo o progresso da ciência não tem sentido se não for, justamente, para colaborar com o crescimento. Não necessariamente numérico, mas com o crescimento do homem como homem, como pessoa humana. Dentro desse progresso da ciência e da tecnologia, tanto da parte dos cientistas como da parte daqueles que utilizam esse conhecimento, cabe, logicamente, uma posição ética, e não só técnica. Então, é preciso desenvolver todo esse progresso da ciência, levando em consideração que existem pessoas que promovem o progresso e outras que se beneficiam do progresso, afirmou.


Mas, o que é a clonagem terapêutica?

A clonagem terapêutica, ou transferência nuclear de células somáticas (TNCS, na sigla em inglês), parte do mesmo principio que foi utilizado para criar a ovelha Dolly,  famosa por ter sido clonada em 1996. Uma célula de tecido do corpo de um doador, ― da pele, por exemplo, ― é fundida com um óvulo não fertilizado, cujo núcleo foi removido. Os óvulos recebem estímulos elétricos para se dividirem em novas células, o que normalmente só aconteceria após a fecundação. Dessa forma, a célula-ovo resultante reprograma o DNA da célula doadora.

A questão em si

Conforme a publicação, o líder da pesquisa, Shoukhrat Mitalipov, rechaçou as preocupações éticas sobre os embriões produzidos e indicou que estes não são o equivalente a um ser humano, já que não foram fertilizados naturalmente, conforme o declarou ao meio de comunicação norte-americano National Public Radio.
Porém, Dom Antonio afirmou que na clonagem, por haver um padrão genético, o óvulo já constitui uma pessoa, mesmo a fertilização tendo acontecido em laboratório:
— Uma vez que tem um padrão genético, aquele óvulo é semelhante ao óvulo fecundado; portanto, havendo as condições materiais, Deus cria uma alma para aquela pessoa e ela passa a existir. Então não é apenas uma simples célula embrionária, é uma pessoa que vai ser utilizada como um produto laboratorial para curar doenças. Isso não se pode fazer nem com pessoas adultas: utilizá-las como objeto, advertiu. 

Pessoa ou produto?

O Bispo comparou a situação em questão, mostrando a diferença do que acontece, por exemplo, quando se trata de transplante de órgãos para salvar a vida de uma outra pessoa. 

— Quando se trata de órgãos vitais, após a morte da pessoa, só é possível o transplante desde que ela deixe um testamento ou se houver a autorização dos pais. O que é muito diferente, já que aquela pessoa deu algum destino para seus órgãos depois da morte. Ela agiu com liberdade, e não tratou a si própria como se fosse um simples remédio que se produz em laboratório, se transporta com uma logística e se armazena em uma farmácia e se vende, esclareceu.

Igreja e ciência: Pelo bem integral da humanidade
Dom Antonio lembrou ainda que a Igreja não é contra o progresso da ciência, mas sim a favor do bom uso dela, sem abrir mão da ética e da coerência, contribuindo para a dignidade da pessoa humana:
— É importante fazer o progresso da ciência não para destruir, mas sim para contribuir para o bem integral da humanidade. (...) O trabalho é digno à medida que ele dignifica o homem e à medida em que visa o bem da humanidade, senão o trabalho pode perder o seu sentido e transformar-se numa arma que, ao invés de construir, destrói. (...) A Igreja não está indo contra a tecnologia, mas está defendendo valores inestimáveis, não só da vida, mas também da união, destacou.
O Bispo ainda fez questão de destacar que muitas vezes a sociedade acaba percebendo essas pesquisas como finalizadas e por isso críveis, quando, na realidade, elas estão em fase experimental:

— Temos muitas experiências mundiais que se buscam soluções pelos caminhos mais diretos e fáceis. E isso traz consigo grandes danos para a humanidade, advertiu. 

Ele também pediu a atenção para o fato de que, neste campo das pesquisas, a evolução não cessa e que já existem trabalhos
como o do japonês Shinya Yamanaka, que, em 2006, criou um método segundo o qual é possível reprogramar células da pele para que adquiram as mesmas características de uma célula-tronco embrionária, descartando assim a necessidade de recorrer a embriões e à clonagem:

— Hoje em dia, muitos cientistas não se preocupam mais com essas pesquisas envolvendo células-tronco embrionárias, uma vez que existe essa pesquisa do Yamanaka. Isso sim é fazer uma medicina regenerativa sem precisar lesar a pessoa humana e nem tampouco, o que é comum na época embrionária, matar as pessoas, comemorou.


Fonte: www.arqrio.org

O Espírito Santo é o verdadeiro motor da evangelização

2013-05-22 Rádio Vaticana

Cidade do Vaticano (RV) – Quarta-feira é dia de festa no Vaticano: a Praça S. Pedro ficou lotada esta manhã para a Audiência Geral com o Papa Francisco.

Depois de saudar a multidão com o papamóvel, o Pontífice dedicou sua catequese a mais um trecho do Credo, quando dizemos depois de professar a fé no Espírito Santo: «Creio na Igreja una, santa, católica e apostólica». 


Na verdade, há uma profunda ligação entre estas duas realidades da fé, porque é o Espírito Santo que dá a vida à Igreja, que a guia e anima no anúncio do Evangelho. Evangelizar é a missão da Igreja: a minha, a sua, a nossa missão. “Cada um deve ser evangelizador, sobretudo com a vida!”, disse o Papa. “O Espírito Santo é o verdadeiro motor da evangelização. Para evangelizar, então, é necessário mais uma vez abrir-se à ação do Espírito de Deus, sem medo de saber o que quer e para onde nos leva.” 


São sinais da sua intervenção: primeiro, a unidade e a comunhão, como se viu no dia de Pentecostes, quando cada um dos presentes conseguia ouvir os Apóstolos na sua própria língua. Todos falavam uma língua nova: a língua do amor que o Espírito derrama nos nossos corações. 


“Não há mais o fechamento de um para com o outro, mas a abertura a Deus, o sair para anunciar a sua Palavra. Às vezes, parece que hoje se repete o que aconteceu em Babel: divisões, incapacidade de compreender-se, rivalidades, invejas e egoísmos. Levar o Evangelho é anunciar e viver em primeira pessoa a reconciliação, o perdão, a paz, a unidade e o amor que o Espírito Santo nos doa.”


O segundo sinal é a coragem humilde que o Espírito dá ao mensageiro do Evangelho, fazendo brotar sempre novas energias, novos caminhos e nova audácia para a missão. “Ele nos dá a coragem de anunciar a novidade do Evangelho de Jesus a todos, com franqueza, de voz alta, em todos os tempos e em todos os lugares. Jamais nos fechemos a esta ação! Vivamos com humildade e coragem o Evangelho!”


Por fim, o terceiro sinal: tudo parte sempre da oração, porque, sem ela, torna-se vazia a nossa ação e sem alma o nosso anúncio. Uma nova evangelização, uma Igreja que evangeliza deve partir sempre da oração, do pedir o fogo do Espírito. 


“Renovemos a cada dia a confiança na ação do Espírito Santo, deixemo-nos guiar por Ele, sejamos homens e mulheres de oração, que testemunham com coragem o Evangelho, tornando-se no nosso mundo instrumentos da unidade e da comunhão de Deus".


Ao saudar os fiéis oriundos de vários países, em inglês o Papa convidou todos a rezarem com ele pelas vítimas, especialmente as crianças, do desastre em Oklahoma, nos Estados Unidos. “O Senhor console a todos, em especial os pais que perderam tragicamente um filho.” Na terça-feira, Francisco enviou um telegrama através da Nunciatura Apostólica em Washington ao Arcebispo de Oklahoma, Dom Paul S. Coakley, para manifestar seu pesar e solidariedade para com as vítimas.


Francisco recordou ainda que na sexta-feira, 24, é o dia dedicado à memoria litúrgica da Beata Virgem Maria, Auxílio dos Cristãos, venerada com grande devoção no Santuário de Sheshan em Xangai.


“Convido todos os católicos no mundo a se unirem em oração com os irmãos e as irmãs que estão na China, para implorar de Deus a graça de anunciar com humildade e com alegria Cristo morto e ressuscitado, de ser fiel à sua Igreja e ao Sucessor de Pedro, e de viver a cotidianidade no serviço a seu país e aos seus compatriotas de modo coerente com a fé que professam.”


O Pontífice pediu a intercessão de Maria para que ampare os católicos chineses que, em meios às fadigas cotidianas, continuam a crer, a esperar, a amar, e faça crescer o afeto e a participação da Igreja que está na China ao caminho da Igreja universal, sem temor de falar de Jesus ao mundo e do mundo a Jesus.


Fonte: http://www.news.va/pt/news/audiencia-o-espirito-santo-e-o-verdadeiro-motor-da

YouCat Online - Ser humano foi criado à imagem de Deus


video


Reconhece-te como imagem de Deus e envergonha-te se te revestires de uma imagem estranha! São Bernardo de Claraval




Ao contrário das coisas sem vida, das plantas e dos animais, o ser humano é uma pessoa dotado de espírito. Esta propriedade vincula-o mais a Deus que às outras criaturas visíveis. [355-357, 380]

O ser humano não é algo, mas alguém. Assim como dizemos que Deus é pessoal, dizemos o mesmo do ser humano. Um ser humano logra pensar para além do seu horizonte imediato e estimar toda a amplitude do ser; ele até consegue, a uma distância crítica, conhecer-se a si próprio e trabalhar em si mesmo; enquanto pessoa, ele pode perceber os outros, compreendê-los na sua dignidade e amá-los. Entre todas as criaturas visíveis, apenas e ser humano é «capaz de conhecer e amar o seu Criador» (Concílio Vaticano II, Gaudium et spes, nº 12). O ser humano está ordenado a viver em amizade com Ele. (Jo 15,15)


-----



Inscreva-se em nosso canal do Youtube: www.youtube.com/pequenorebanho

Twitter: @pequeno_rebanho

Facebook: fb.com/comunidadecatolicapequenorebanho

Seminário de Vida no Espírito Santo


      É NESTA SEXTA-FEIRA!!!      



Rezai ao Espírito Santo

2013-05-15 Rádio Vaticana

Nesta quarta-feira dia 15 de Maio a Praça de São Pedro parece cada vez mais pequena para acolher as multidões que desde as primeiras horas da manhã começam a acorrer ao Vaticano em dia de audiência. Uma multidão que acolheu o Papa Francisco com um enorme entusiasmo que só o Espírito Santo pode dar ao Povo de Deus. Ora a poucos dias do Domingo de Pentecostes o Santo Padre debruçou-se precisamente sobre este tema: o Espírito Santo - dizendo que o Espírito Santo guia a Igreja e cada um de nós para a Verdade. Diante de uma época como a nossa, em que impera o relativismo, é importante lembrar que Espírito Santo é Aquele que nos permite encontrar a Verdade. Ter encontro com a Verdade que se fez carne: Jesus Cristo. 

"O Espírito Santo, como promete Jesus, guia-nos a toda a verdade, guia-nos não só ao encontro com Jesus, plenitude da Verdade, mas guia-nos dentro da Verdade, faz-nos entrar numa comunhão cada vez mais profunda com o próprio Jesus, dando-nos a inteligência das coisas de Deus. E esta não a conseguimos atingir com as nossas forças. Se Deus não nos iluminar interiormente, o nosso ser cristãos será superficial."

De fato, a ação do Divino Paráclito consiste em recordar e imprimir no coração dos fiéis as Palavras de Jesus, fazendo com que estas se transformem em princípio e guia da vida cristã. É do íntimo de nós mesmos que nascem as nossas ações; é o coração que deve converter-se a Deus, e o Espírito Santo transforma-o se nos abrirmos a ele. 

"Perguntemo-nos: estou aberto à ação do Espírito Santo, rezo para que me dê luz, me torne mais sensível às coisas de Deus?"

Neste Ano da Fé, somos convidados, seguindo o exemplo de docilidade de Nossa Senhora, a nos deixar inundar pela luz do Espírito Santo, predispondo-nos à Sua ação, buscando conhecer mais a Cristo e as verdades da fé: meditando a Sagrada Escritura, estudando o Catecismo e aproximando-se com mais frequência dos sacramentos. 

"A verdade de Cristo de que o Espírito Santo nos ensina e nos dá, influência para sempre e totalmente a nossa vida quotidiana. Invoquemo-lo mais vezes para que nos guie pela estrada dos discípulos de Cristo." 

O Papa Francisco saudou ainda os peregrinos presentes nas diferentes línguas. Eis a saudação aos peregrinos de língua portuguesa: 
"Queridos peregrinos de língua portuguesa, particularmente os grupos de brasileiros: sede bem-vindos! Na vossa preparação para a festa de Pentecostes, invocai com mais frequência o Espírito Santo, para que Ele vos guie pela estrada dos discípulos de Cristo, aos quais é pedido para serem cristãos em todas as circunstâncias e escolhas da vida. Que Deus vos abençoe!"

No final da audiência o Papa Francisco renovou os seus apelos pela defesa da vida como já o tinha feito solenemente no Regina Caeli do Domingo passado e anunciou ainda a sua intenção de visitar o santuário de Nossa Senhora de Bonária, na ilha italiana da Sardenha, provavelmente em setembro aludindo ao facto de existir entre a cidade de Buenos Aires e a de Cagliari uma história antiga de relação e tradição.

Fonte: http://www.news.va/pt/news/papa-francisco-rezai-ao-espirito-santo-para-que-gu
Foto: © L’Osservatore Romano

YouCat Online - Você tem lugar especial na criação!


video



A criação do ser humano é nitidamente distinta da criação dos outros seres vivos. O ser humano é pessoa, isto é, ele pode, pela vontade e pela inteligência, decidir-se pelo amor ou contra ele.

Quando contemplo os céus, obra das Vossas mãos, a lua e as estrelas que lá colocastes, que é o ser humano para que Vos lembreis dele, o filho do homem para dele Vos ocupardes? Fizestes dele quase um ser divino, de honra e glória o coroastes. Sl 8,4-6


Inscreva-se em nosso canal do Youtube: www.youtube.com/pequenorebanho

Twitter: @pequeno_rebanho

Facebook: fb.com/comunidadecatolicapequenorebanho

Nossa Senhora de Fátima, rogai por nós!

Maria, mãe de Jesus em seu eterno amor e intercessão pelos seus filhos aparece em diversas ocasiões para orientar e convidar-nos a uma vida de oração mais profunda. No dia 13 de maio, comemoramos o dia de Nossa Senhora de Fátima. Vamos entender um pouco de sua história.
 
No dia 13 de maio de 1917, três pequenos pastores apascentavam seu rebanho na Cova da Íria em Fátima, Portugal. Por volta do meio dia, logo após rezar o terço, estavam construindo uma pequena casa de pedras quando apareceu-lhes “uma senhora mais brilhante que o sol” com um terço branco na mão.
 
A senhora disse aos pequenos pastores que rezassem muito e que voltassem na Cova da Íria nos 5 meses seguintes naquela mesma hora para rezar. Os pastorzinhos retornaram no dia 13 dos meses que se seguiam e Nossa Senhora voltou a apar
ecer-lhes, pedindo a devoção aos sábados com a oração do terço, meditação dos mistérios do Rosário, confissão e Eucaristia. Atualmente, a Cova da Íria receba a visita de milhares de devotos de Nossa Senhora de Fátima, pedindo sua intercessão.
 
Maria apareceu aos pequenos, àqueles que ela sabia que iriam ouví-la e fazer a sua vontade, por se tratar da vontade de Deus. Cada um de nós é chamado, assim como foram com os pequenos pastores, a nos fazermos pequenos e a seguir o exemplo de Maria, afim de ter uma vida de oração mais profunda.
 
Que a cada dia possamos pedir sua intercessão para melhorar nossa vida de oração e estar sempre em intimidade com Deus.


Nossa Senhora de Fátima, rogai por nós!

Espírito Santo, fonte inesgotável da vida de Deus em nós

Cidade do Vaticano (RV) – Mais de 80 mil fiéis e peregrinos lotaram esta quarta-feira a Praça S. Pedro para participar da Audiência Geral com o Papa Francisco.

Após saudar a multidão de papamóvel, de retribuir o afeto recebido, o Papa depositou flores aos pés da pequena imagem de Nossa Senhora de Luján, padroeira da Argentina, cuja festa litúrgica é celebrada no dia 9 de maio. A imagem estava posicionada ao lado da cátedra papal. 

O Pontífice dedicou sua catequese a mais um trecho do Credo, quando professamos com fé: “Creio no Espírito Santo que é Senhor e dá a vida”. O Espírito Santo, disse, é a fonte inesgotável da vida de Deus em nós. O homem de todos os tempos e de todos os lugares deseja uma vida plena e bela, justa e boa, uma vida que não seja ameaçada pela morte, mas que possa amadurecer e crescer até sua plenitude. O homem, atravessando os desertos da vida, tem sede de água viva. E Jesus nos doa esta água viva, que é o Espírito Santo, para que a nossa vida seja guiada por Deus, seja animada por Deus, seja nutrida por Ele. 

Esta água mata nossa sede porque nos purifica, nos ilumina, nos renova e nos transforma; nos torna partícipes da própria vida de Deus, que é Amor. 


Como se lê na Carta aos Romanos, é o Espírito que «faz de nós filhos adotivos. É por Ele que clamamos: Abbá, ó Pai!». E se somos filhos, somos também herdeiros: herdeiros de Deus. 


O Espírito Santo, concluiu o Pontífice, traz aos nossos corações a própria vida de Deus, uma vida de verdadeiros filhos, num relacionamento feito de confidência, liberdade e confiança no amor misericordioso do Pai, que nos dá também um olhar novo sobre os outros, fazendo-nos ver neles irmãos e irmãs que devemos respeitar e amar.”



Após a catequese, o Santo Padre cumprimentou os vários grupos de fiéis. Em português, saudou de modo especial um grupo de sacerdotes do Rio de Janeiro, presente em Roma para seu aniversário de ordenação.

Fonte: http://www.news.va/pt/news/audiencia-espirito-santo-fonte-inesgotavel-da-vida


Não esqueça: dia 17 de maio começa nosso Seminário de Vida no Espírito Santo!!!




Missão: Formador espiritual dos voluntários

Alexandre Bastos, Fundador de nossa Comunidade, fala sobre a experiência de servir ao Senhor estando à frente da coordenação de formação espiritual dos voluntários da JMJ Rio 2013.

Confira:



Alexandre Bastos é natural do Rio de Janeiro e a cerca de um ano está envolvido nas atividades da Jornada Mundial da Juventude(JMJ). Atualmente na coordenação da Formação Espiritual dos voluntários, ele reconhece a responsabilidade que tal entrega exige, porém, ressalta a presença diária da graça de Deus, direcionando cada ação no contato com outros voluntários. O Documento de Aparecida enfatiza a importância de uma constante formação espiritual, mas é importante ressaltar que o principal motivo das formações vai além do período da JMJ. Elas são “para o aperfeiçoamento dos cristãos, para o desempenho da tarefa que visa à construção do corpo de Cristo”. Confere a entrevista com o voluntário.


O que é para você estar responsável por coordenar a formação espiritual dos voluntários?
Nenhum serviço na Igreja pode ser feito sem o auxílio da graça de Deus. Concretamente, o servo do Senhor experimenta desta graça. É como diz o Salmista: “Feliz aquele que se compraz no serviço do Senhor” (Sl 1,2). Portanto, não há como não estar feliz, mesmo com minhas limitações, poder colaborar com a JMJ Rio2013, que é um serviço ao Senhor. Além disso, estar na coordenação da formação espiritual dos voluntários é uma grande responsabilidade que, somente confiando na graça de Deus, é possível de se aceitar.
A Jornada é um evento onde o trabalho voluntário é extremamente necessário. No caso da formação, há uma equipe de voluntários envolvida na elaboração do material que é disponibilizado aos demais voluntários?
Sim, os voluntários são fundamentais. Não há como fazer uma JMJ sem essa oferta generosa de pessoas que doam não somente um serviço, mas a própria vida. Na elaboração do material formativo conto com a ajuda de alguns irmãos da Comunidade Católica Pequeno Rebanho, da qual pertenço. No entanto, é necessário o serviço de tantos outros irmãos que atuam em outras áreas do Setor Voluntários e também em outros Setores do COL. O certo é que nada se faz sozinho, comigo há uma equipe, graças a Deus!
Além das formações via internet, existem formações presenciais. Como ocorrem estes dois tipos de formações?
As formações presenciais acontecem principalmente através de um planejamento, de maneira que periodicamente a formação aconteça nas diversas Paróquias através do coordenador paroquial. Além desses momentos existem outros, onde o Setor se reúne com os voluntários por Vicariatos. Neste caso, são encontros maiores que basicamente acontecem em duas partes: uma espiritual e outra com informações gerais no que diz respeito aos voluntários. Já para as formações na internet, os veículos principais são o blog dos voluntários e o site oficial da JMJ. Recentemente foi disponibilizado mais uma área, é uma “página reservada” para os voluntários, onde os primeiros textos e vídeos formativos já estão postados e também outros serão acrescentados. O Setor está encaminhando para cada voluntário um login e uma senha que concede o acesso essa área.
Qual o objetivo do COL ao promover essas formações?
No documento de Aparecida, por exemplo, fica claro que a formação deve ser permanente. Portanto, nenhum cristão católico, independente do tempo de caminhada, do grau de conhecimento, do cargo que ocupa ou do ministério que atua pode se excluir da necessidade de uma formação que seja para a vida toda. A JMJ é uma oportunidade que colaborarmos com essa necessidade de formação permanente. Portanto, mesmo objetivando a formação dos voluntários JMJ, não trabalhamos somente para formar pessoas para um determinado acontecimento/evento. Também estamos trabalhando “para o aperfeiçoamento dos cristãos, para o desempenho da tarefa que visa à construção do corpo de Cristo, até que todos tenhamos chegado à unidade da fé e do conhecimento do Filho de Deus, até atingirmos o estado de homem feito, a estatura da maturidade de Cristo. Para que não continuemos crianças ao sabor das ondas, agitados por qualquer sopro de doutrina” (Ef 4, 12-14). Queremos colaborar para que, cada vez mais, estejamos enraizados na nossa fé, como pediu nosso papa, Bento XVI.


Fonte: http://rio2013.com/pt/canal-voluntarios/detalhes/1933/missao-formador-espiritual-dos-voluntarios

YouCat Online - O que são os anjos?






Os anjos são criaturas de Deus, puramente espirituais, que têm inteligência e vontade. Não são corporais nem mortais e normalmente não são visíveis. Vivem constantemente na presença de Deus e transmitem aos seres humanos a vontade de Deus e a Sua proteção.
Podemos invocar a ajuda dos anjos e pedir-lhes intercessão junto de Deus.’

Cada pessoa recebe, de Deus. um anjo da guarda. É bom e conveniente rezar ao anjo da guarda, em benefício seu ou dos outros. Os anjos, por iniciativa própria, também se podem fazer perceptíveis na vida de um cristão, como, por exemplo, quando são portadores de uma mensagem ou se fazem bons companheiros, como São Rafael que acompanhou Tobias (cf.Tb 3,25) . A fé nada tem a ver com os anjos esotéricos.





Inscreva-se em nosso canal do Youtube: www.youtube.com/pequenorebanho

Twitter: @pequeno_rebanho

Facebook: fb.com/comunidadecatolicapequenorebanho

"Deixo-vos a paz, dou-vos a minha paz"


 Deixo-vos a paz, dou-vos a minha paz. Não vo-la dou como o mundo a dá. Não se perturbe o vosso coração, nem se atemorize! (Jo 14, 27) 


"O Espírito de Deus é espírito de paz; mesmo quando cometemos os mais graves pecados, Ele faz-nos sentir uma dor tranquila, humilde e confiante, devido, precisamente, à Sua misericórdia. Ao invés, o espírito do mal excita, exaspera e faz-nos sentir, quando pecamos, uma espécie de cólera contra nós; e no entanto o nosso primeiro gesto de caridade deveria justamente ser para com nós próprios. Portanto, quando és atormentado por certos pensamentos, tal agitação não te vem nunca de Deus, mas do demônio; porque
Deus, sendo espírito de paz, só pode dar-te serenidade. ''

São (Padre) Pio de Pietrelcina (1887-1968), capuchinho
Carta, AdFP, 549





O sentido do casamento


O mesmo Deus que criou o homem e a mulher uniu-os em matrimônio. A Bíblia nos diz que, ao criar o homem, Deus sentiu-se insatisfeito, porque não encontrara em todos os seres criados nenhuma criatura que o completasse.
E Deus percebeu que “não é bom que o homem esteja só” (Gn 2,18a). Então, disse ao homem: “Eu vou dar-lhe uma ajuda que lhe seja adequada” (Gn 2,18b), alguém que seria como você e que o ajude a viver. E fez a mulher. Retirou “um pedaço” do homem para criar a mulher (cf. Gn 2,21-22).
Nessa linguagem figurada, a Palavra de Deus quer nos ensinar que a mulher foi feita da mesma essência e da mesma natureza do homem, isto é, “à imagem e semelhança de Deus” (cf. Gn 1,26). Santo Agostinho nos lembra que Deus, para fazer a mulher, não tirou um pedaço da cabeça do homem e nem um pedaço do seu calcanhar, por que a mulher não deveria ser chefe nem escrava do homem, mas companheira e auxiliar. Esse é o sentido da palavra que diz que Deus tirou “uma costela do homem” para fazer a mulher.
Ao ver Eva, Adão exclamou feliz: “Eis agora aqui, o osso de meus ossos e a carne de minha carne” (Gn 2,23a). Foi, sem dúvida, a primeira declaração de amor do universo. Adão se sentiu feliz e completo em sua carência. Então, Deus disse: “Por isso o homem deixa o seu pai e a sua mãe para se unir à sua mulher; e já não são mais que uma só carne” (Gn 2,24).
Isso quer dizer: serão uma só realidade, uma só vida, uma união perfeita. E Jesus fez questão de acrescentar: “Portanto, não separe o homem o que Deus uniu” (Mt 19,6b).
Após uni-los, Deus disse ao casal: “Frutificai e multiplicai-vos, enchei a terra e submetei-a” (Gn 1,28). Aqui está o sentido mais profundo do casamento: “frutificai [crescei] e multiplicai”. Deus quer que o casal, na união profunda do amor, cresça e se multiplique nos seus filhos; e daí surge a família, a mais importante instituição da humanidade. A família é a célula principal do plano de Deus para os homens e ela surge com o matrimônio.
É muito significativo que Deus tenha dito ao casal: “crescei”; e, em seguida, “multiplicai”. Isso mostra que a primeira dimensão do casamento é o crescimento mútuo do casal, realizado no seu amor fecundo. Ninguém pode multiplicar sem antes crescer. Como é que um casal vai educar os filhos, se eles, antes, não se educaram, não cresceram juntos?
O casamento não é uma aventura nem um “tiro no escuro” como dizem alguns; é, sim, um projeto sério de vida a dois, no qual cada um está comprometido em fazer o outro crescer, isto é, ser melhor a cada dia. Se a esposa não se torna melhor por causa da presença do marido a seu lado, e vice-versa, então o casamento deles está sem sentido, pois não realiza sua primeira finalidade. Também um namoro, um noivado, ou até uma simples amizade, não terão sentido se um não for para o outro um fermento de auxílio e crescimento. Enfim, o casamento não é para “curtirmos a vida a dois”, egoisticamente; ele existe para vivermos ao lado de alguém muito especial e querido que queremos construir. É por isso que se diz que “amar não é querer alguém construído, mas, sim, construir alguém querido.”
Para ajudar o outro a crescer é preciso aceitá-lo como ele é, com todas as suas qualidades e defeitos. A partir daí é possível então, com muita paciência e carinho, ajudar o companheiro a crescer; e crescer quer dizer “atingir a maturidade como pessoa humana” no campo psicológico, emocional, espiritual, moral, etc.

Prof. Felipe Aquino